terça-feira, 18 de outubro de 2011

No place to fall


Dizem que uma Pessoa entra na nossa vida por uma razão, uma estação ou uma vida inteira. Creio que isto seja verdade, ou senão sou eu que o faço como forma de justificar algumas relações na minha vida.

Até as experiências negativas com o tempo se tornam positivas, isto é se eu conseguisse aprender o raio da lição.

Brincadeiras à parte, recentemente tive um pequeno abanão na minha alma, diz-me um amigo que isto é positivo, porque demonstra que eu não estou morta por dentro, do que tenho sérias dúvidas. Mas assim sendo, resta o amargo e com isto é mais difícil de se lidar.

Sendo eu uma pessoa complicada, é óbvio que complico ainda mais.





Agora é ouvir umas músicas deprimentes, lamber as feridas e esperar que o tempo cure isto. Os tempos são de crise e não me vou adiantar muito em lamentações, estas serão as únicas linhas que irei escrever sobre o assunto. Qualquer dia até por isto me cobram.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011


Isto do timing não é lixado, é fodido mesmo.

É esta a minha conclusão depois de uma noitada e 4 horas de sono.





Isn't it rich?Are we a pair?Me here at last on the ground,You in mid-air.Send in the clowns.


Na vida perdemos quando falamos, mas também quando optamos por não o fazer. Aquele intervalo de silêncio pode ser preenchido de diversas formas imaginárias pelos intérpretes da conversa.